Modalidades de Formação

Versão para impressão

Segundo o Conselho Cientifico-Pedagógico da Formação Continua (CCPFC), as modalidades de formação dividem-se em dois grandes grupos: as acções de formação centradas nos conteúdos (cursos, módulos e seminários) e as acções de formação centradas nos contextos escolares e nas práticas profissionais (círculos de estudos, oficinas de formação, projectos e estágios).

Os cursos, os módulos e os seminários são, sem duvida, as modalidades mais generalizadas actualmente no sistema de formação continua e destinam-se dominantemente à aquisição de conhecimentos. Estas modalidades centradas nos conteúdos, podem ter alguma utilidade no desenvolvimento de conhecimentos, de capacidades e de competências dos professores, não garantindo a experimentação e aplicação dessas aquisições pessoais nos espaços de trabalho profissional, as salas de aula, as escolas e os territórios educativos.

Para esse efeito foram criadas outras modalidades (os círculos de estudos, as oficinas de formação, os projectos e os estágios), que pretendem dar resposta à formação centrada nos contextos escolares e nas praticas dos professores, orientada para a resolução de problemas as escolas e tendo como objectivo final a melhoria o processo ensino-aprendizagem dos alunos.

Características das Modalidades de Formação centradas nas práticas profissionais/contextos escolares

De entre estas modalidades, os círculos de estudos e os projectos estão particularmente vocacionados para permitirem que os profissionais se juntem, por iniciativa própria, elejam uma problemática comum sobre a sua realidade e desencadeiem a busca de soluções para esse problema, propondo ao seu centro de formação, a satisfação de uma preocupação profissional comum a todos, enquadrando estas iniciativas no sistema de formação contínua e valorizando-as para efeito de currículo e de carreira. Quanto às oficinas de formação e aos estagiários, estas têm como objectivo essencial a intervenção sobre as práticas específicas da actividade profissional, promovendo a formação em alternância, encontrando momentos de aplicação/experimentação e momentos de reflexão/melhoramento, avaliando continuamente os resultados provocados, em momentos sucessivos de acção e de reflexão.

(Adaptado de «contributo para a consolidação da formação continua centrada nas práticas profissionais». – CCPFC, 1999)

Quadro Explicativo

Formação Centrada na mudança da escola/território Formação Centrada no exercício profissional Formação Centrada no Conteúdo/Aprofundamento
Modalidade Projecto Círculo de Estudos Estágio Oficina de Formação Seminário Curso e Módulo
Área mais adequada A a D A a D C C B e C A e D
Duração 15 a 50 horas 15 a 50 horas
(>= 10 semanas)
15 a 30 horas 15 a 30 horas 15 a 60 horas
(12 a 20 semanas)
Mínimo: 15 horas
s/ limite máximo
Creditação Provisória
3 cr./25 h. Pres. conjuntas 1 cr./25 h. Pres. conjuntas 3cr./25h pres. conjuntas 2cr. / 25h pres. conjuntas 1 cr. / 25h. pres.
Limite de participantes 7 a 15 10 a 15 2 a 5 10 a 20 7 a 15
Efeitos a produzir Acção conjunta de mudança de procedimentos nas Escolas/Territórios Conhecimentos técnicos para mudar procedimentos nas Escolas/territórios Mudanças de práticas profissionais apoiada em supervisão Mudança de práticas profissionais apoiada em materiais Exercitar trabalho científico sobre práticas profissionais ou temas de educação Adquirir conhecimentos e competências profissionais. Problematizar experiência dos professores
Metodologias - Formação centrada na Escola/ Território, a partir de um problema ou necessidade.

- Promoção de conhecimentos e de mudanças da práticas para resolver o problema.

- Uso de metodologias de investigação/ formação/ intervenção.

- Problematização da realidade.

- Promoção de mudanças das práticas profissionais

- Avaliação de mudanças alcançadas nas práticas profissionais e dos materiais produzidos (relatório)

- Identificação prévia de problemas/ necessidades de formação a partir se expectativas de mudanças e aperfeiçoamento de práticas

- Intervenção individual dos formandos no espaço profissional observação/ reflexão, discutida com o orientador

- Relatório de Estágio do formando.

- Identificação previa de problemas/ necessidades de formação a partir de relato das práticas profissionais dos participantes na educação.

- Avaliação e reformulação dos materiais e dos resultados com eles atingidos em função das necessidades identificadas nas sessões presenciais conjuntas.

- Estudo autónomo

- Relato ao grupo e comentário

- Apresentação de um ensaio escrito ou relatório científico de investigação

- Articulação entre necessidades do sistema educativo e necessidades dos formandos.

- Proporção entre sessões teóricas e práticas que integre saberes experiências dos formandos

Creditação Definitiva 50 a 100% da creditação provisória (*) 100 a 50% da creditação provisória (*) 50 a 100% da creditação provisória (*) 50 a 100% da creditação provisória (*) 50 a 100% da creditação provisória (**) 1 cr./b 25 h. presenciais

(*) A creditação provisória será convertida em definitiva, em relação a cada um dos formandos, pelos Centros de Formação com base em parecer fundamentado de um Consultor de Formação, caso exista nos termos da alínea e) do nº 2 do artigo 25º do RJFCP, ou por um especialista na temática da acção, sobre relatório produzido pela equipa formadora.

(**) Idem, com base em parecer do director do Seminário.

Fonte: Conselho Científico-Pedagógico da formação contínua.