Caça ao erro
 
PROCESSO

 

Numa casa muito estranha 

 

Numa casa muito eistreinha

toda foita de xocolate

vivia uma bruxa castainha

que adorava o dusparate.

Puinha os copos no fojão

as panelas na banheira

os sapatos na gaiveta

as meias na friguideira;

escravia com fios de áugua

dormia sempre de pé

cozinhava numa cama

e comia no bidé.

Varria a cassa com grafos

linpava o pó com farinha

daitava cem gatos na zala

e dormia na cosinha. 

António Mota,Se tu visses o que eu vi – Gailivro.          

 

Como deves ter reparado este texto tem muitos erros, descobre os 16 erros que existem no texto e faz a correcção seguindo o exemplo que te é dado, depois escreve novamente o texto de forma correcta no teu "Magalhães". 

Não é eistreinha é estranha

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

Não é __________________    é    ____________________

   
   
Aventura na Web criada por Acácio Duarte com